domingo, 12 de junho de 2011

SOLO

Colégio Estadual Deputado Manoel Mendonça
Prof.: Cássio Vladimir de Araújo
Série: 1º Ano – Ensino Médio - Matutino
Disciplina: Geografia - 2011

Capítulo 4 – Solo (Pg. 116)

• Conceito e Formação do solo
- Para a mineração, solo é um detrito que deve ser separado dos minerais explorados e depois removido; para algumas ciências, como a ecologia, é um sistema vivo composto por partículas minerais e orgânicas que possibilita o desenvolvimento de diversos ecossistemas. Para a Geografia, solo é a parte natural e integrada à paisagem que dá suporte às plantas que nele se desenvolvem.
- O solo é formado num processo contínuo, pela desagregação e decomposição das rochas. Quando expostas à atmosfera, as rochas sofrem a ação direta do calor do Sol e da água da chuva, entre outros fatores, que modificam seus aspectos físicos e composição química dos minerais que a compõem. Em outras palavras, sofrem a ação do intemperismo físico e químico.
- Ao processo que origina os solos e seus horizontes dá-se o nome de pedogênese.
- Basicamente o solo é constituído de: Partículas minerais (argila, silte, areia fina, areia grossa e cascalho), matéria orgânica (restos vegetais e animais – húmus), água e ar.

• Perfis do Solo
O perfil de um solo bem desenvolvido possui basicamente quatro tipos de horizontes, chamados de horizontes principais:
- Horizonte O: camada superior do solo, orgânica;
- Horizonte A: camada com acúmulo de matéria orgânica;
- Horizonte E: claro de máxima remoção de argila e/ou óxidos de ferro;
- Horizonte B: máxima expressão de cor e concentração de materiais removidos de A e E;
- Horizonte C: material inconsolidado de rocha alterada;
- R: Rocha não alterada (que não é solo).

• Erosão
Conjunto de ações que modelam uma paisagem. Importante fator de modelagem das formas de relevo, de desgaste dos solos agricultáveis e, quando resulta de ação humana sobre a natureza, pode comprometer o equilíbrio ambiental.

• Etapas do desgaste do solo
As três etapas do desgaste de solos provocados pelo processo erosivo são intemperismo, transporte e sedimentação. A melhor forma de se combater esse desgaste é por meio da diminuição da velocidade de escoamento da água.

• Práticas agrícolas para conservação do solo
Algumas práticas agrícolas são utilizadas para a conservação do solo, quebrando a velocidade de escoamento das águas das chuvas, entre elas:
- Terraceamento: prática que consiste em fazer cortes nas superfícies íngremes para formar degraus.
- Curvas nível: consiste em arar o solo e depois semeá-lo seguindo as cotas altimétricas do relevo.
- Associação de culturas: prática que consiste em plantar espécies, principalmente leguminosas, entre fileiras de culturas que deixam parte de solo exposto, favorecendo também o equilíbrio orgânico do solo.

• Voçorocas
As voçorocas se formam basicamente de duas maneiras: erosão descontrolada sobre sulcos que se formam pela ação das águas pluviais na superfície e no subsolo, e solapamento das camadas inferiores do solo, provocando desmoronamentos e conseqüente formação de sulcos que vão aumentando de tamanho.

• Deslizamentos
As encostas, à medida que a camada de solo vai adquirindo maior profundidade ao longo do tempo geológico, tende a deslizar quando sua espessura, peso e declividade criarem as condições propícias. Esse processo é acelerado pela ação humana quando ocorre desmatamento e ocupação das encostas, o que aumenta o peso da massa solta sujeita ao escorregamento.

• Fontes
- Moreira, João Carlos, Eustáquio de Sene – Geografia : volume único – São Paulo: Scipione, 2005.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.

Postar um comentário